Arquitetura de Tecnologia / Infraestrutura


A arquitetura de tecnologia é também conhecida como arquitetura de infraestrutura, um dos componentes da arquitetura corporativa de extrema importância para que a organização possa atingir os seus objetivos e metas.



Fig1ArquiteturaCorporativa.png

Fig. 1 - Composição da Arquitetura Corporativa


A infraestrutura de TI é, segundo e Ross (apud FERNANDES e ABREU, 2008, p. 18), “[...] a fundação da capacidade planejada de TI (tanto técnica como humana) disponível no âmbito de toda a organização como serviços compartilhados e confiáveis e usados por múltiplas aplicações”. Trata-se de todos os elementos base de TI que a instituição deve possuir para suportar as necessidades de negócio da empresa, como equipamentos, sistemas e processos para gerenciar estes recursos.

A infraestrutura de TI define os serviços de TI exigidos pelo negócio com relação a “gestão de dados, comunicações, gestão de ativos de TI, gestão de infraestrutura, segurança da informação, padrões de interfaces; como esses recursos estarão dispostos na organização; os recursos computacionais requeridos para apoiar o negócio” (FERNADES 2008).

Não existe um padrão único de arquitetura de tecnologia que possa ser adotado por todas as instituições de forma a contribuir para o êxito nas suas tarefas. Isto, pois, cada empresa tem um ou vários ramos de atividades. Os componentes da arquitetura de tecnologia devem ser definidos a partir da análise dos objetivos e metas estabelecidas pela organização. A decisão sobre a composição tecnológica a ser adotada, quais requisitos de segurança, hardware (servidores, roteadores, firewall, proxy, …), plataformas de gerência de rede, de dados, … deve ser realizada de forma a viabilizar uma operação otimizada à empresa para que ela possa alcançar o que foi planejado.

Uma das metodologias arquiteturais mais utilizadas atualmente2, o The Open Group Architecture Framework – TOGAF apresenta um conjunto de métodos e ferramentas para que uma instituição possa desenvolver a sua arquitetura corporativa.

Este framework apresenta uma receita para o estabelecimento de arquiteturas. Trata-se de processos organizados em um ciclo de desenvolvimento de arquitetura que é baseada em fases, cada uma com seus elementos (entrada, processo, saída, artefatos) bem definidos.

A figura a seguir ilustra o método de desenvolvimento de projeto e implantação de arquitetura corporativa do TOGAF.

A fase identificada como “D. Tecnology Architecture” visa criar o ambiente de infraestruturas de hardware e software necessários para possibilitar que as definições estabelecidas nas etapas anteriores possam ser implantadas com sucesso.





Fig2TOGAF.png

Fig. 2 - O Architecture Development Method – ADM o método de desenvolvimento de projeto e implantação de arquitetura do TOGAF


O resultado desta fase, segundo FERNANDES (2008), é a avaliação e a construção da arquitetura de TI mais personalizada, mais específica para as necessidades e características da empresa, uma vez que busca definir:

  • “ Os serviços de infraestrutura de TI requeridos pelo negócio, visando atender aos objetivos estratégicos, requisitos de continuidade operacional dos negócios e questões de compilance;
  • Os recursos computacionais requeridos para apoiar o negócio;
  • Como esses recursos estarão dispostos na organização;
  • Quais novas tecnologias serão implantadas e onde serão implantadas;
  • Quais recursos deverão ser desativados;
  • Quais recursos deverão receber upgrade;
  • Quais serviços e recursos serão compartilhados entre as unidades da organização;
  • Requisitos e dispositivos de segurança da infraestrutura lógica e física”.

A figura a seguir ilustra um exemplo de desenho de infraestrutura de TI. Pode-se perceber a existência de: recursos físicos de hardware (impressoras, servidores, supercomputadores, mainframes, hub, …); sistemas necessários para gerenciar, controlar e medir aspectos de tecnologia, aplicações, serviços e ativos de TI (gestão de dados, da operação, das instalações, …); políticas de segurança, privacidade das informações, tratamento de invasões; além de proporcionar uma visão da interconexão entre os elementos desta arquitetura e entre os stakeholders, que pode ser por meio da internet, intranet.

Fig3ArquiteturaTecnologia.png

Fig. 3 - Exemplo de uma arquitetura de tecnologia.

A metodologia do TOGAF prever que o resultado obtido ao final desta fase é composto, entre outros documentos, por:
  • Versão refinada e atualizada da arquitetura de tecnologia, bem dos seus princípios validados;
  • Documento de definição da arquitetura;
    • os componentes de tecnologia e suas relações com sistema de informação;
    • plataformas tecnológicas e suas combinações necessárias para a criação de uma tecnologia específica;
    • ambientes de desenvolvimento, ambiente de produção,...;
    • especificação de rede e de hardware;
  • Projeto de especificação de requisitos de arquitetura;
    • Análise dos resultados dos GAPs (diferença entre os recursos atuais e os desejados);
    • Saídas das fases B e C;
    • Atualização de requisitos de tecnologias;
  • Portfólio de tecnologia


Referências Bibliográficas

FERNANDES, Aguinaldo Aragon; ABREU, Vladimir Ferraz de. Implantando a governança de TI: da estratégia à gestão dos processos e serviços. 2. ed. Rio de Janeiro: Brasport, 2008.

. MSDN. Enterprise Architecture: A arquitetura corporativa e o papel do arquiteto de TI. Disponível em: <http://msdn.microsoft.com/pt-br/library/gg490650.aspx>. Acesso em: 03.12.2011.


. MSDN. Uma comparação entre as quatro principais metodologias de arquitetura corporativa . Disponível em: <http://msdn.microsoft.com/pt-br/library/bb466232.aspx#XSLTsection127121120120> . Acesso em: 03.12.2011.

__. OPEN GROUP. Uma comparação entre as quatro principais metodologias de arquitetura corporativa . Disponível em: <http://pubs.opengroup.org/architecture/togaf9-doc/arch/chap12.html> . Acesso em: 03.12.2011.